Intercâmbio Voluntário: Vale a pena?

Estamos mais uma vez aqui falando sobre o tipo de viagem que mais amamos: Intercâmbios.

Já dissemos e repetimos: quem ainda não fez, não pode perder essa oportunidade. Toda nós do blog fizemos e não temos nenhuma dúvida que essa é uma experiência inesquecível e maravilhosa. Seja um intercâmbio para aprender línguas, universitário, ou ainda mais incrível,  de trabalho voluntário.

Sim, isso mesmo, intercâmbio voluntariado! Nunca pensou nessa opção ? Pois estamos aqui te convidando a começar a cogitar. Estar imerso em uma outra cultura, descobrindo e experimentando milhares de coisas novas  e ainda poder impactar a vida de outras pessoas é uma experiência simplesmente indescritível.

Apesar disso, sempre existem alguns medos quando se trata de intercâmbio.. quando é intercâmbio voluntário então, as preocupações aumentam ainda mais. Porém garantimos que vale muito a pena e repetimos o nosso mantra " se tiver com medo, vai com medo mesmo!"

A experiência de intercâmbio voluntariado é incrível por diversos motivos. Primeiro você vai para fazer o bem e não há nada mais recompensador que isso não é mesmo?

Além disso o trabalho voluntário te permite ter uma outra visão sobre o seu país de destino. Você vai sair totalmente do roteiro tradicional e realmente conhecer o local, o cotidiano das pessoas e também suas mazelas. Esse contato com uma realidade totalmente diferente da sua, ainda por cima sem ser no seu país de origem, faz muitos milagres para seu desenvolvimento pessoal, de verdade. Você passa a questionar os seus problemas e colocá-los em perspectiva.. eles são tão grandes assim? Nossa como eles vão parecer menores!!!

Além do mais não temos dúvidas que o trabalho voluntário vai ser uma ótima oportunidade para você conhecer pessoas incríveis e fazer amigos para uma vida toda. E o melhor: amigos por todo o mundo!!

Depois viajar é sempre bom né minha gente?

Para os que se interessaram ( eba!!! ) existem várias organizações que tem esse tipo de intercâmbio. Entrevistamos 3 jovens que participaram dessa experiência pela AIESEC,  uma organização sem fins lucrativos que tem, entre seus programas, um de intercâmbio voluntário de curta duração.

Das cerca de 300 pessoas que viveram uma experiência assim, no ano passado, três contam para a gente porquê embarcar com mala, câmera e coração preparados para uma cultura completamente desconhecida. Lucas Hitoshi, Yasmin Camacho e Lucas Borges saíram do Rio para conhecer uma realidade estrangeira, em 6 semanas, com hospedagem em casa de família e pouco espanhol na ponta da língua! Sobre as expectativas do que encontraria lá, Yasmin diz que se surpreendeu:

yasmin com crianças
Yasmin se divertindo com crianças do projeto Impacting Kids

“Eu cheguei em León sabendo que iria lidar com crianças de 4 a 15 anos de um orfanato, mas não podia contar que aquelas crianças iam me ensinar muito mais do que eu ensinei a elas.  Eu aprendi a ter empatia, paciência e carinho e, olhando para trás, não me arrependo de nenhum momento que eu vivi.”

Yasmin e Borges, que trabalharam ensinando valores, lembram dos agradecimentos das crianças com muito carinho. Ele, que realizou o projeto social por meio do ensino do futebol, por sua vez, diz que o ponto alto do projeto aconteceu em um dia especial:

“Um dia, tive que conversar com um menino que não queria participar de uma brincadeira, e, em espanhol, consegui de algum jeito passar que era importante a participação de todos, que era importante o papel dele ali, e ele voltou à brincadeira. Mais tarde, quando foram jogar futebol, ele fez um gol e veio falar comigo, me agradecendo por eu ter acreditado nele”.

lucas borges com crianças

Já Lucas Hitoshi, que trabalhou ensinando inglês para diversas faixas etárias, lembra de seu desenvolvimento em línguas de maneira muito clara. Ele diz que ensinou português à companheira de projeto e ela o ensinou bem o espanhol.

No final do intercâmbio, Hitoshi conta, as pessoas diziam que “meu espanhol é quase igual a de um nativo e isso me incentiva a começar a estudar mais idiomas”.

Lucas com Diana, sua companheira de projeto colombiana

Além de todo o aprendizado, Hitoshi diz que escolheu o voluntariado porque “você pode ajudar as pessoas de alguma forma e ainda pode aprender com elas através de troca de experiências que temos”. Um de seus alunos se mostrou com vontade de continuar estudando inglês com ele, através da internet. “Eu desde o começo incentivei aos meus alunos dizendo que não dependia apenas do meu ‘ensino’ e sim da vontade deles de aprender e treinar inglês”.

Hitoshi, que é budista, realizou seu intercâmbio no momento mais religioso para os cristãos - o final do ano, com o Natal - e teve a oportunidade, fora do Brasil, de ver como são as festividades, com o acréscimo de piñatas e posadas. Além disso, ele apontou como fatos curiosos que os mexicanos comem cactos e ressaltou que o “México é incrível com cidades maravilhosas e pessoas incríveis”.

Enquanto esteve lá, se hospedou na casa de um casal com dois filhos pequenos. Borges, por sua vez, ficou na casa de um casal com quatro filhos, que também tinham como hóspede o outro brasileiro que realizou o projeto com ele. Lá, ele fez feijoada, algo que nunca havia feito no Brasil.

Borges com a família que o hospedou
Borges com a família que o hospedou

Todos recomendam o intercâmbio social. Yasmin ressalta o impacto que pode ser feito na vida de outra pessoa: “Espero que, assim como eu, outras pessoas possam viver a experiência de mudar a vida de alguém. Acredite em mim, não tem nada mais gratificante que isso”.

Borges complementa que  “O intercâmbio é uma experiência única e sempre será diferente para todos, não há como eu falar aqui para vocês que o seu será assim ou assado, porém o que eu posso deixar para vocês é: vivenciem essa experiência”.

Depois desses relatos maravilhosos, fica a minha pergunta: vocês ainda tem alguma dúvida do quanto vale a pena ignorar os seus medos e se jogar de cabeça em uma aventura assim???

2 thoughts on “Intercâmbio Voluntário: Vale a pena?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *